• Cabeçalho

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA: ESTIMULAÇÃO COGNITIVA - HORIZONTE

"Dois horizontes preenchem a nossa vida.

Um horizonte: a saudade. Do que não há de voltar;

Outro horizonte: a esperança. Dos tempos que hão de chegar."

Parte do Poema “Os dois horizontes” de Machado de Assis

 

Os dados epidemiológicos permitem-nos afirmar que a doença mental é hoje a principal causa de incapacidade e uma das principais causas de morbilidade e, dentro destas, as demências afetam 6 a 8% da população com mais de 65 anos, sendo 50% classificadas como demência de Alzheimer. As pessoas assistidas da Unidade de Psicogeriatria 02 - Santa Isabel, além das mudanças decorrentes do processo de envelhecimento, estão ainda sujeitas a permanentes perdas cognitivas e funcionais provenientes da doença mental.

A estimulação cognitiva apresenta-se como uma alternativa de intervenção junto das pessoas assistidas, dado que visa otimizar o funcionamento cerebral após verificação do seu défice, constatando-se pela revisão da literatura a existência de benefícios deste tipo de programas de treino dirigidos a pessoas com doença mental e défice cognitivo. Estes programas de treino passam muitas vezes pela elaboração de jogos onde a componente lúdica é contemplada e com a utilização destes, trabalham-se áreas específicas, no sentido de, estimular triplamente o indivíduo: ao nível físico, ao nível psíquico e ao nível social (Zimerman, 2000).

Com base nestes pressupostos mantemos em implementação o programa de estimulação cognitiva “Horizonte”, composto por sessões de grupo, executadas de forma focal e dirigidas às diversas funções da cognição.

Este programa tem como objetivos:

  • Desenvolver e implementar sessões de estimulação cognitiva dirigida a pessoas idosas com doença mental;
  • Estimular as perceções sensoriais e as habilidades psicomotoras;
  • Avaliar o efeito da estimulação cognitiva ao nível da memória, orientação, linguagem, concentração e atenção, retenção e cálculo, evocação e habilidades construtivas;
  • Melhorar e/ou estabilizar as capacidades cognitivas;
  • Melhorar e/ou estabilizar as capacidades funcionais.

Para a concretização do programa serão realizadas duas sessões semanais (segundas e quartas-feiras), em grupo, com duração entre 30 a 60 minutos, distribuídas em cinco domínios de intervenção: memória/orientação, linguagem, concentração/atenção, retenção/cálculo, evocação/habilidades construtivas. Em cada sessão é realizada a avaliação individual de cada pessoa assistida utilizando a Ficha de aceitação e/ou rejeição da atividade e no início e no final do Programa é realizada avaliação do estado mental com recurso ao Mini-Mental State Examination.

Ao longo dos anos de implementação deste Programa sempre verificamos uma melhoria/manutenção do estado cognitivo  das pessoas assistida, verificada através da aplicação do Mini Exame do Estado Mental (MMSE), com diferença estatisticamente significativa em algumas funções da cognição.



© Copyright 2020, Irmãs Hospitaleiras. Todos os direitos reservados.