• Cabeçalho

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA: “ESTIMUL(A)MENTE”

Destinatários: Pessoas Assistidas

ENQUADRAMENTO

Segundo Vieira (2013), nas Doenças Mentais Graves as funções cognitivas são afetadas, apresentando um défice moderado a grave, ainda antes de ocorrer o primeiro surto psicótico e mantém-se no decorrer da mesma. Este défice ocorre devido aos sintomas positivos e negativos da patologia, sendo que a comunidade científica acredita que para manter o funcionamento da pessoa é necessário exercitar as funções cognitivas para reabilitação e manutenção das mesmas.

A estimulação das capacidades cognitivas é assim fundamental para obter um nível de funcionamento o mais aproximadamente possível da autonomia, procurando atrasar o processo demencial e promovendo as capacidades cognitivas comprometidas.

Dada a prevalência de pessoas assistidas com Doença Mental Grave na Unidade Maria Angústias com os sintomas de défices cognitivos ligeiros e moderados, nos domínios da memória, atenção e linguagem, com impacto no funcionamento diário e nas relações interpessoais, a equipa de enfermagem identificou a necessidade de delinear um conjunto de intervenções passíveis promover e manter as funções cognitivas, prevenindo o declínio cognitivo.

Para avaliação dos défices cognitivos da população mencionada, foi aplicada a escala Montreal Cognitive Assessment (MOCA) validada para a população portuguesa por Freitas et al. (2010).

Critérios de inclusão:

  • Pessoas assistidas com défice cognitivo moderado e ligeiro (avaliação segundo o instrumento de avaliação MOCA);
  • Pessoas assistidas portadoras de Doença Mental Grave.

OBJETIVOS GERAIS

Este programa tem como principal objetivo a manutenção das funções cognitivas e prevenção do declínio cognitivo, através do treino das funções cognitivas, mais especificamente a memória e atenção.

OBETIVOS OPERACIONAIS

Como objetivo operacional pretende-se a manutenção das funções cognitivas e a prevenção do declínio cognitivo, das pessoas assistidas incluídas no programa.

METODOLOGIAS UTILIZADAS/ATIVIDADES A DESENVOLVER

Relativamente às atividades e estratégias utilizadas para a concretização do programa, são desenvolvidas atividades semanais direcionadas à promoção e/ou manutenção das funções cognitivas e prevenção do declínio das funções cognitivas, através da aplicação exercícios em papel, com diferentes níveis de dificuldade, bem como a aplicação de jogos terapêuticos e outras atividades.

Este programa é assim composto por sessões de grupo, coordenadas pelo Enfermeiro, com duração aproximada de 45 minutos. Nas sessões serão realizados jogos dinâmicos, atividades para estimular a memória de associação e dinâmicas de grupo.

No final do último quadrimestre será aplicada a Escala Montreal Cognitive Assessment, para a avaliação dos resultados e avaliados os restantes indicadores.

INDICADORES

Como indicadores do programa terapêutico definimos:

Indicador de processo: Número de sessões;

Indicador de resultado: Taxa de adesão às sessões; Funcionamento cognitivo;

Indicador de Efetividade: Taxa de concretização do programa terapêutico.

METAS

  • Realizar 32 sessões por quadrimestre;
  • Obter uma taxa de adesão superior ou igual a 80%;
  • Manter/melhorar funcionamento cognitivo em 75% das pessoas assistidas;
  • Obter uma taxa de concretização do programa superior ou igual a 80%


© Copyright 2020, Irmãs Hospitaleiras. Todos os direitos reservados.