• Cabeçalho

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA: "PAR A PAR COM A FAMÍLIA"

A família é o primeiro espaço de convivência do ser humano. Referência fundamental para qualquer indivíduo, é nela que, independente de sua configuração, se aprende e incorpora valores éticos, e onde são vivenciadas experiências afetivas, representações, juízos e expectativas.

No que diz respeito à saúde, é na família que tanto se aprende a ter hábitos de vida saudáveis, como, também a vivenciar processos de transição e de adatação nos vários contextos.

É consensual, atualmente, que a família é um elemento crucial na equação descritiva e explicativa dos processos de saúde - doença de cada pessoa.

Segundo WEIRICH, TAVARES e SILVA (2004, p.172), a “ênfase crescente na família tem resultado na mudança da maneira como ela é percebida no contexto de saúde ultrapassando, sobretudo, as definições utilitárias que se atribuía à família, quando era vista unicamente como um bem para o utente”. Sabe-se que do ponto de vista terapêutico, uma boa comunicação afectiva e emocional com a família ajuda a prevenir novas crises, sendo uma "condição" facilitadora na adesão ao regime terapêutico.

Emerge daqui que a família é parte integrante do ser humano e portanto, manter contato com ela é fundamental para o equilíbrio bio-psico e social da pessoa.

Assim, os objetivos gerais a atingir com este programa prendem-se essencialmente em:

  • Melhorar a qualidade de vida das pessoas assistidas;
  • Promover o contacto da pessoa assistida com a sua família/ente querido;
  • Promover o contacto da pessoa assistida com o meio ambiente/social;
  • Estimular os familiares a intervirem e participar no processo terapêutico da pessoa assistida;
  • Proporcionar a criação/reforço de laços com os familiares, permitindo a partilha de informação de forma bi-direcional.


© Copyright 2020, Irmãs Hospitaleiras. Todos os direitos reservados.